quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Desculpa !

Pois é verdade, nunca quero que as pessoas gostem de mim. Claro que já reparei. Não quero ser aquela que tu olhas com todo o carinho, que me facas as coisas só para me agradar, que me ajudes em tudo, que não saiu da tua cabeça, aquela que tem medo de fazer qualquer coisa para não te magoar, aquela que tem cuidado em tudo o que diz e faz para assim nunca te ver triste. Não quero que gostem de mim. Mesmo não tendo culpa, sinto-me culpada por ter-te a ti a gostar de mim, desculpa não ser quem tu queres. Desculpa. Sabes tão bem como eu que eu não te mereço, mereces melhor, muito melhor, alguém que olhe para ti e que pense “ que sorte que eu tenho”, que te abrace com o maior carinho, que goste de ti, alguém que goste realmente de ti. Mas eu escrevo, e digo, tu lês a ignoras. Como é possível? Estou a começar em entrar em paranóia, não por ti, mas por mim. Culpo-me todos os dias, é como se o meu coração fosse derretendo gota a gota e cada gota é um dia. Já não sei o que te fazer ou dizer. Sinto-me mal, fria e com poucas forças. Tu dás-me o que preciso. Juntas as tuas forças as minhas e fazemos um circuito que alguém algum dia ira desfazer. Mas sabes aquele tempo que passo contigo? Preciso de ele para mim, só para mim, não é que não queira a tua companhia, mas a minha pessoa precisa de silêncio, e de estar sozinha. Obrigado por tudo que me dizes e fazes. Mas sinceramente sinto-me fraca! Mais uma vez, desculpa!

Sem comentários: