sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Olá, prazer... Por favor não desapareças!


Vês a minhas forças? Nem eu. Estão por um fio. É sempre assim, quando estão quase a chegar ao limite, parece que volta para trás, nunca pisaram o risco. Mas desta vez, sinto que vou calca-lo. Estas culpas estão a auto destruir-me. Gostava tanto de te poder ajudar, levantar, animar, mas não posso. Tenho de saber de ti por terceiros. Deixas-te de falar para mim. Não imaginas como me sinto. Por favor não me deixes! A tua amizade é tão importante para mim. O teu sorriso é a minha fonte de inspiração. Já perdi bastantes pessoas não te posso perder a ti. És demasiado importante. Não vou deixar. Agora, quem vai esperar, vou ser eu. Vou esperar que estejas melhor, para olhar para ti e abraçar-te, e dizer “ não fujas”!

4 comentários:

Joana Santos disse...

escreves muito bem (:

Moreira disse...

Muito sentido gostei ;)

Moreira disse...

Quem nao sonha, nao pode viver a realidade... ;)

Moreira disse...

Vou seguir ;)