segunda-feira, 18 de março de 2013

Paulo Coelho



Ele ficou a olhar, e eu o olhava. Minha mão procurou a tua, e a encontrou. Senti que agora era o teu coração que batia mais rápido - eu quase podia escutá-lo, porque estávamos de novo em silêncio. Minha alma, porém, estava tranquila, e meu coração em paz.

Sem comentários: