segunda-feira, 21 de julho de 2014

r

É preciso ter orgulho em si para puder dar aos outros. É preciso parar, fechar os olhos, baixar a cabeça e tentar entender o que falta na existência humana. É preciso tirar de nos para dar aos outros quando eles julgam que não tem mais nada se não a razão do seu ser. É preciso saber ouvir e ler e absorver somente o que merece ser lido e ouvido. É juntar todas as forças que temos para puder dar aos outros e esperar que os mesmo o façam quando formos nos a precisar delas.
Quando morre alguém de quem gostamos é como se perdessemos os sentidos. Já nada nos parece significante quando percebemos que nunca mas nunca mais o vamos olhar, falar... É como se com ele, fosse parte de nós. A única que só conhecêssemos porque já não a temos. Conhecemos a parte que vai quando a sentimos a ir. Se ao menos pudéssemos diminuir a dor que o outro sente de qualquer modo... Acho que essa é a parte mais frustrante termos que aceitar o que não entendemos. A dor que sentimos só entenderá aquilo que mais queremos... Que o tempo nos consiga dar aquilo que foge ao nosso entendimento. Não haverá mais nada de importante se não entender o porquê e aceitar o que tem de ser.
Eu conheço- te bem e sei que mesmo com o coração partido irás ajudar alguns a reconstruirem-se mas lembra- te que não tens que ser forte mas tens que ter força. Ele estará sempre a olhar por ti e para ti de uma forma que só tu o entenderas.

Sem comentários: